Igualdade na quadra

O que era conhecido como um esporte de elite, transformou-se em uma iniciativa inspiradora, que apresentou o tênis à crianças e jovens que viram suas vidas melhorarem a partir desse contato com a modalidade. Conheça o projeto vacariano Lapidando Cidadãos, seu funcionamento, profissionais e envolvidos e, principalmente, seu reflexo na vida dos estudantes em situação de vulnerabilidade

01/05/2021 Especiais Carolina Padilha Alves Penélope Fetzner

Foi no ano de 2017 que nasceu o Lapidando Cidadãos, projeto idealizado pelo Promotor de Justiça Luis Augusto Gonçalves Costa, que uniu a associação de tenistas de Vacaria, com o AMMA - Associação de Meninos e Meninas Assistidos - fazendo com que crianças e adolescentes pudessem ter contato com esse esporte no contraturno escolar.

Os recursos para que a iniciativa continue de pé, são provindos da Lei de Incentivo ao Esporte do Ministério da Cidadania, além de empresas privadas que acreditam no potencial do projeto e ajudam financeiramente. Hoje, mais de quatrocentas crianças são atendidas no Lapidando Cidadãos, sendo que algumas possuem deficiências motoras e mentais, o que deixa o projeto inclusivo e preocupado em desenvolver o espírito esportivo em todos, independente das dificuldades.

As aulas começam a ser dadas a partir dos quatro anos, e podem seguir até o final da idade escolar, que varia entre dezessete e dezoito anos, normalmente. Ao todo, são sete quadras disponíveis para a prática do tênis: cinco delas ficam na Pousada Santa Tereza, uma no colégio Irmão Getúlio e a outra no AMMA, onde é considerada a sede do projeto.

Entre os profissionais que abraçaram a causa, estão professores e monitores, fisioterapeuta, preparador físico, psicólogo, setor administrativo, entre outros. “Para nosso  trabalho ficar completo, pretendemos viabilizar a questão do transporte, angariando recursos para ofertar gratuitamente a locomoção de cada aluno até a quadra na qual treina”, conta Silvia  Rodrigues, assessora de comunicação.

No momento, a pandemia do Covid-19 impossibilita que todas as crianças e adolescentes sejam atendidos de forma presencial pelo projeto. Portanto, apenas metade dos alunos estão frequentando as quadras, e a outra metade recebe atividades de forma online, já que os pais preferem não mandar seus filhos, pensando nas restrições que o coronavírus trouxe. “As aulas online são importantes para manter o vínculo dos professores com os alunos, que se tornou tão importante durante todos esses anos de trabalho”, diz Mariana Zen, supervisora administrativa.

Pequeno vencedor

A ideia inicial do Lapidando Cidadãos, não era formar atletas profissionais. Porém, com alguns dos alunos se destacando, foi criado, além da parte social do projeto, a parte de competição, que chama-se Lapidando Tenistas.

Esses competidores, participam de torneios serranos, estaduais e nacionais, levando suas experiências e vontade de vencer para as quadras de várias cidades do país. Entre eles está Vitor Marques Moraes, de apenas oito anos, mas que já é campeão Brasileiro de Duplas da Brasil Juniors Cup, maior evento nacional de tênis infanto juvenil.

Vitor recebe ajuda de seu irmão mais velho, considerado seu maior incentivador, e de Márcio Moraes, que além de ser seu pai, é um dos professores do projeto. “Sou educador físico há muitos anos, e há dois dou aulas no Lapidando. Noto que meu filho se diverte aqui, antes de qualquer coisa. Nada foi forçado ou imposto a ele, tudo começou numa brincadeira, mas foi aí que ele descobriu seu potencial. Ele tem a oportunidade de praticar um esporte que pode lhe dar um futuro brilhante, e ao mesmo tempo estar socializando e fazendo amizades. Ensino desde cedo que eles são competidores apenas dentro da quadra, fora eles são amigos em primeiro lugar”, afirma o pai e professor, orgulhoso.

O pequeno vencedor sonha alto e tem planos já traçados para sua trajetória no esporte. “Meu sonho é ver de perto o Rafael Nadal. Quero jogar em Madrid, sei que tenho que treinar muito até chegar lá, mas vai que ele está assistindo e eu consigo falar com ele, né”, explica Vitor, empolgado.

 

Troféus que Vitor ganhou até o momento:

  • Copa Tomas Engel - Vice Campeão na categoria 9 anos - Novo Hamburgo;

  • Banana Bowl - campeão 2020 na categoria 8 anos - maior evento de tênis da América Latina;

  • Copa Guga Kuerten - Vice Campeão 2019 na categoria 8 anos;

  • Brasil Juniors Cup - Campeão de duplas na categoria 9 anos -  maior evento de tênis infanto juvenil.

 

Colaboradores do projeto:

  • Angelina Brust - preparadora física

  • André Luz - coord equipe de competição

  • Bernardo Faccioli - monitor

  • Carmene Dotto - professora

  • Guilherme Faccioli - monitor

  • Guilherme Domingues - serviços gerais

  • João dos Santos - monitor

  • Mariana Zen - supervisora administrativa

  • Micaeli Algayer- coordenadora Amma

  • Márcio Moraes - professor Amma e Irmão Getúlio

  • Renata Antonini - psicóloga

  • Silvia Rodrigues - assessora de comunicação

  • Kellin Frozi - gerente do projeto

  • Jaime Perin e Glória Zermiani - Representante e Presidente da AMMA

Os interessados devem entrar em contato pelo número abaixo, das 8h às 17:30, de segunda a sexta-feira. Assim, eles receberão todas as informações e serão coletados os dados necessários para cadastro do aluno. Quando houver vaga, ele será chamado para preenchê-la.

Fone / Whats: (54) 9.9676-5744

COMENTÁRIOS




REDES SOCIAIS

FACEBOOK INSTAGRAM
O conteúdo das ofertas é de responsabilidade exclusiva de seus anunciantes.